Transporte público e as caronas

   O que você acharia de ter pontos específicos de carona por todo país? E se nesses pontos houvesse um agente que organiza todas as caronas para serem mais seguras e frequentes? Isso acontece em Cuba.

  A carona está presente na vida dos cubanos. A maioria dos habitantes não possui carro particular e o transporte público é organizado para o alcance de todos. E uma das estruturas deste transporte é a carona, legalizada e financiada pelo Estado. A carona, chamada de botella, é organizada pelos amarillos. Este profissional pára os carros nas vias, identifica e cadastra as pessoas que estão dando e recebendo a carona. Nas saídas das cidades você irá identificar amarillos cercado de pessoas, muitas vezes trabalhadores, esperando suas botellas.

  E os ciclistas também podem levar suas bicicletas de carona. É comum ver os trabalhadores com suas bicicletas, de uma cidade para outra, "agarrar una botella". E quando param no ponto mais perto de sua cidade, saem, sobem em suas bicicletas e chegam até o local desejado.

  O transporte público também conta com ônibus e carros antigos - "las máquinas" que fazem lotações. Dentro das cidades podem ser usados com facilidade e são econômicos. Em uma sociedade que valoriza o trabalho, é perceptível que o transporte foi pensado para os trabalhadores.

  Também não é necessário contar somente com os amarillos. Você pode ir até as vias principais com sua bicicleta, e quando sentir necessidade, pedir carona para chegar ao seu destino. Em nossa viagem com as bicis, tiveram momentos de usufruir desta carona de caminhões, que fizeram parte do reconhecimento deste povo e da sua solidariedade.   



Un amarillo
video

Máquinas cubanas que fazem lotação



bicitaxi

a boa e velha carroça

Estacionamento de bicicletas:



video